quarta-feira, 1 de junho de 2011

saudades

Caros amigos! Saudade de todos. Estou feliz, recebi o certificado. Espero que vocês também o tenham recebido.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Saudades

Olá amigos do Gestar, saudades: dos nossos encontros, do Djalma e de tudo enfim. Que tal se nos reuníssemos para a certificação? Vamos pensar nisso?
Beijos

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Gestar II Uberlândia MG

Laci, ituiutabana, e nós ituramenses. Maria Cleusa no momento, está presentendo Delta com seus conhecimentos , e sua alma poética, mas acreditem, Iturama é a sua terra.

CEMEP Uberlândia MG

Zilá, Aleci e eu

Último encontro do Gestar

Encerramento, que pena.

sábado, 21 de novembro de 2009

Oficina 11 - 31/08/09

Primeira reunião após o 2º encontro de formação em Uberlândia


Nesta oficina trabalhamos as unidades 21 , Argumentação e Linguagem e 22, Produção Textual. Como tarefa para desenvolver com os alunos, foram escolhidas do AAA, a aula 4, A construção das estratégias, e aula 5, Da ideia à escrita do texto , a partir da proposta do Avançando na Prática. À medida que vamos nos aprofundando no estudo, sentimos que as estratégias de trabalho ficam mais fáceis e eficazes. Conforme relato dos professores, a atividade foi bem sucedida, pois seguiram os passos sugeridos: Brainstorm; registro das ideias; organização das idéias, e por fim a construção do texto. A socialização dos trabalhos foi muito enriquecedora, cada um com um modo diferente de tratar do mesmo assunto. Fico envaidecida com a produção que os professores cursistas, conseguem com seus alunos.

Um brinde ao Gestar
Apresentção dos relatórios

Oficina 2 - 16/09/09

Como foi programado no encontro de formação, o cronograma da execução das ações, iniciamos com o TP3, oficina 5, e fomos até a Unidade 23 do TP6. Retornamos à Unidade 4 do TP1, por isso oficina 2. O objetivo desta oficina era avaliar a prática docente, com relação às atividades ligadas à leitura e produção de textos, rever e sistematizar as informações essenciais em torno do uso do texto no ensino da língua, incluindo a intertextualidade. Foi interessante, como cada professor abordou e trabalhou de forma diferente um mesmo assunto. Trabalharam fábulas, mudando o foco narrativo, ou parafraseando. Depois desenvolvemos a atividade proposta para a oficina, fazendo o plano de atividade de leitura do texto “A língua” para ser desenvolvido com os alunos. A cada oficina, apresento uma Matriz do documentário O Povo brasileiro, que é relatado nas auto-avaliações como de grande importância para o conhecimento da nossa língua.

Fábula A coruja e a aguia

F
Atividade dos cursistas

Oficina 1 TP1 - 30/09/09


Nessa oficina foram desenvolvidas atividades sobre as Variantes Linguísticas, dialetos e registros. Como o assunto é uma constante nas atividades de nossos professores, gerou boas discussões, pois recebemos aqui em nosso município pessoas de diversas regiões, devido a economia local girar em torno da cana de açúcar. Esse falar diferente, muitas vezes não é respeitado, visto como uma linguagem pobre ou errada. Esse assunto foi trabalhado pelos professores como estudo de respeito às diversas culturas. Depois apresentei, Ri melhor quem ri na escola (Power point). Uma atividade muito interessante para despertar a curiosidade do aluno.

Oficina 3 TP2 - 21/10/09

Unidades 5 e 6
A reunião iniciou-se com uma pequena homenagem aos professores. Apesar do atraso, devido à “semana do saco cheio” resolvemos nos dar um momento de atenção. Após esse momento iniciamos nossos trabalhos com a apresentação dos relatórios das atividades sobre Análise linguística. Depois passamos para atividade proposta pelo TP, planejamento e interpretação do texto, Maria e Pedro na cova do vento, trecho da peça A menina e o vento de Maria Clara Machado. Os cursistas fizeram uma pequena encenação. Foi muito interessante

Interpretação do texto: Maria e Pedro na cova do vento


Apresentação

Ensaio para a apresentação


Apresentação da cena



Confraternização - dia do professor

Eloísa, Neila, Maria de Fátima, Euzany e Nilva .
Foto: Prof. Fábio
Anderson, Marley, Cristiane, Franciele, Luzia, Maria da Luz, Kátia, Elma e Janete

Oficina 4 - TP2 - 11/11/09

Nesta oficina foram desenvolvidas atividades sobre a linguagem figurada, especificamente a Onomatopéia, proposta de um dos avançando na Prática. Depois de relatar e mostrar os trabalhos passamos para atividade do TP2, Interpretação de Texto – charge (desenho humorístico) de Quino. Em grupos, os professore fizeram a interpretação do texto e discutiram as questões, em seguida fizeram a produção em diferentes gêneros. A partir daí passamos para auto-avaliação, embora sendo uma produção individual, trocaram opiniões sobre os resultados do encontro. Acredito que esse momento de reflexão conjunta também possa acrescentar a prática pedagógica dos cursistas.

Trabalhos com figura de linguagem - Onomatopeia



Oficina 12 16/11/09

Esse foi um momento diferente dos demais. Iniciamos com o filme O Carteiro e o Poeta, (sessão cinema com direito a pipoca e tudo). Como havíamos trabalhado a linguagem figurada na unidade anterior, ou seja, na unidade 8, fechamos os encontros falando de Metáfora, como havia sugerido o professor Djalma. Após o filme, vários comentários foram feitos sobre as diversas possibilidades e estratégias que o professor pode utilizar para atrair a atenção do aluno para a escrita de textos poéticos. É possível despertar algum interesse pela poesia a partir do momento, em que o aluno se sinta envolvido ou necessitado de lançar mão de alguns versos, mesmo que não seja seu. “A poesia não é de quem escreve, mas de quem precisa dela”. Depois passamos para a apresentação dos projetos. Como já havia acompanhado a execução dos mesmos, foi o momento de socializar com os demais colegas o produto final. Alguns professores fizeram a explanação de todos os passos do projeto, apenas oralmente. Outros, em power point, tornando assim mais interativa e interessante a apresentação.

Filme O Carteiro e o Poeta

Sessão cinema




Projeto - "Iturama em Gêneros"

Professores - Nilva e Dedival

Projeto

Professora Márcia

Projeto

Professor Fábio - apresentação do projeto.

Projeto - professora Janete

Avaliação

Cursistas durante a avaliação final.


Último encontro

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Avaliação Diagnóstica

Aleci (coordenadora ) e eu tabulando o resultado da Avaliação Diagnóstica, aplicada no início de outubro.


Avaliação Diagnóstica

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Vídeo 2º encontro Uberlândia

video

http://www.youtube.com/watch?v=YC7g3f9CjoY

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

RELATÓRIO DOS ENCONTROS DE FOMAÇÃO

Após o período de formação, de 23 a 27 de março, em Uberlândia, nos organizamos com a Secretaria Municipal de Educação, convocamos os diretores de escolas estaduais e municipais, e professores de Língua Portuguesa e Matemática, para abertura e apresentação do Programa no dia 16 de abril de 2009.






Abertura do Gestar II– Língua Portuguesa e Matemática - professores da rede municipal e estadual.







Acolhimento- Mensagem






Apresentação do Programa – Eloísa Leal Severino







Entrega do Material pela Secretária Municipal de Educação Rita de Cássia Donegá Salomão Lorenzato, e professores formadores, Eloísa Leal Severino - Língua Portuguesa e Zilá Nunes Matemática.






Depois das reuniões de planejamento e apresentação do Programa, iniciamos os encontros de formação continuada de Língua Portuguesa, com dois grupos de professores cursistas, não pelo número, mas para facilitar os horários. Um encontro semanal de 4 horas para cada grupo. Iniciamos o trabalho como tinha sido planejado dentro do calendário previsto, 14 encontros até agosto, um encontro para cada duas unidades, e outro para a oficina. Dia 22 de abril, comecei com o 1º grupo. No início estava um pouco apreensiva, pela responsabilidade de estar diante de um grupo de professores com muitas expectativas, e pela seriedade do Programa. Neste encontro trabalhamos os gêneros textuais. Durante a atividade pedi aos professores que fizessem uma receita para uma boa educação, como havíamos feito no encontro de formação. Foi muito interessante o resultado. No final da unidade 9 lemos o texto referência e fizemos as atividades. Na unidade 10 trabalhamos as características de gênero literário e não-literário, gênero poético e por fim o gênero poético de cordel. Para apresentar a tarefa, lemos o texto de cordel, As quatro classes corajosas de João Martins de Athayde, do Avançando na Prática, e foram escolhidas para trabalhar com os alunos as atividades 7 e 8 do AAA3.



Oficina 5 : 11-05-09



Iniciei fazendo a acolhida com boas vindas aos professores. Depois deixei que eles falassem sobre como tinham desenvolvido as atividades. Foi ressaltada a importância do gênero poético em nossas vidas. Antes da entrega das atividades e dos relatórios de desenvolvimento das mesmas, apresentei um clip do Zé Ramalho com a música Mulher Nova Bonita e Carinhosa e alguns comentários foram tecidos sobre as possibilidades de tornar uma aula mais atraente, quando se utiliza de recursos sonoros e visuais. Os trabalhos foram apresentados logo a seguir, cada um relatando suas experiências. No final fizemos o varal de literatura e poesias de Cordel, atividades realizadas pelos alunos. Para finalizar apresentei o vídeo O Boi Zebu e as Formigas de Patativa do Assaré.








Professores cursistas, durante a apresentação dos relatórios.





Literatura de Cordel



Oficina 6: 29-04-09



Ao iniciar a oficina, retomei a tarefa anterior, pois alguns professores tinham deixado de entregar alguns trabalhos alegando que suas turmas estavam em período de provas, atrasando assim, a entrega. Após recebê-los, iniciamos a oficina. Estava apreensiva quanto a clareza dos objetivos das unidades estudadas, e como seria desenvolvido o processo de estudo sobre transposição de gênero textual. Tal foi a minha surpresa com a apresentação que os cursistas fizeram. A maioria aproveitou o Dia das Mães e trabalhou esse tema, apresentado de vários gêneros: receita, anúncio, propaganda, biografia, histórias em quadrinhos. Fiquei surpresa com a apresentação. Depois da socialização, e exposição de todos trabalhos, fizemos alguns comentários, e houve umas colocações muito interessantes: "Depois dessa troca de experiências dá vontade de fazer tudo de novo. É muito bom". Esforço-me bastante para acompanhar a proposta do Gestar, acredito que estou conseguindo.



Oficina 7: 13-05-09



Nesta oficina, percebi que os cursistas já estavam mais à vontade. Talvez porque o tema Letramento sempre leva à boas discussões e questionamentos. Os professores relataram os passos das atividades desenvolvidas com seus alunos. Seguindo a proposta do AAA deram inicio às atividades com Cidadezinha qualquer, trabalhando os passos sugeridos na atividade, adequando-os ao nível das séries, levantando hipóteses e conhecimentos prévios dos alunos. Trabalharam a descrição da cidade do texto, de suas cidades depois a narração. A partir daí, passaram para a aula do AAA, Uma partida de futebol, onde os alunos fizeram a interpretação das imagens, construíram textos descritivos e narrativos. Foram experiências muito válidas, como o relato do professor Anderson José que usou um vídeo de Tom Zé interpretando uma Cidadezinha qualquer, e para a partida de futebol, o clip do Skank É uma partida de futebol.



Oficina 8: 10-06-09



O objetivo dessa atividade era trabalhar produção textual, a escrita nos seu desenvolvimento comunicativo. Foi escolhido para tarefa, o Avançando na Prática da pág. 194, que propunha o estudo do texto científico Sempre em boa companhia, retratando a importância da preservação das espécies em extinção. A partir da leitura e interpretação do texto , os alunos desenharam os cartões postais, e produziram o texto comunicativo para os mesmos. Cada cursista socializou suas experiências, relatando as estratégias usadas para se chegar a esse produto. Depois desse momento, propus a eles a atividade sugerida no final do TP, sobre a escrita de um texto persuasivo para a propaganda (jornal ou revista), tendo como imagem, o cartaz das profissões. Foi muito boa a discussão sobre quais argumentos usaram para convencer o leitor. Cada grupo apresentou seu texto propaganda e o roteiro de aula adequado para seus alunos a partir dessa atividade.








Texto propaganda





Texto propaganda



Oficina 9: 24-06-09



Recebi os cursistas como de costume; há sempre uns que chegam antes. A partir daí a conversa começa. Assim que todos chegaram passamos para a discussão, cujo objetivo era a tessitura do texto nos aspectos de construção de sua coerência. Cada professor apresentou e relatou como foi o trabalho com seus alunos. Escolheram as propagandas (textos publicitários), cada um a seu gosto. Alguns exploraram primeiro a imagem (texto visual) para depois o texto verbal, fazendo assim a "associação" entre os dois. Terminado esse momento, passamos para a atividade proposta para a sala com o grupo de professores cursistas, sobre a construção da coerência textual e os aspectos linguísticos e sócio-comunicativos, responsáveis pela continuidade de sentidos de um texto. Apresentei a eles o texto publicitário proposto e desenvolvemos a atividade, discutindo como a coerência textual é construída a partir da articulação entre informações do texto e experiências prévias. Cada grupo fez sua análise e escolheu a forma de apresentá-lo no painel.





Atividades desenvolvidas pelos alunos





Desenvolvimento da atividade pelos cursistas








Desenvolvimento da atividade







Painel com atividades dos alunos e professores





Professores cursistas em atividade










Apresentação das atividades











Oficina 10: 12-08-09



Depois de um período curto e "conturbado" de férias retornamos. Várias mudanças aconteceram com os professores contratados da rede municipal, devido a um processo seletivo ao qual foram submetidos. Com isso, houve alteração no quadro dos professores. Mudaram de escola, turmas, outros nem conseguiram voltar. Mesmo com essas dificuldades retornamos com a oficina 10, cuja proposta do Avançando na Prática era a coesão na organização de um texto fragmentado. Foi interessante como os professores desenvolveram com seus alunos a atividade, pois usaram vários gêneros, como fábulas, tirinhas, e o próprio texto sugerido. Infelizmente, nem todos conseguiram desenvolvê-la, pois nem chegaram a ter aula com suas turmas.





Alunos da professora cursita Márcia Regina Alves em atividade, organizando o texto.







Cursistas, durante a elaboração da atividade proposta para a oficina.










Exposição dos trabalhos